Atlas Vallard

Atlas Vallard

The Huntington Library, San Marino (CA)




Cota: HM 29
Data: 1547
Tamanho: 390 x 280 mm
68 páginas
Encadernado em pele vermelha estampada en ouro
Volume de estudos a cores (244 pp.) por Luís Filipe Thomaz (Instituto de Estudos Orientais da Universidade Católica Portuguesa), Dennis Reinhartz (University of Texas) e Carlos Miranda (Doutorado em História)
«Primeira edição, única e irrepetível, limitada a 987 exemplares, numerados e autenticados com um certificado notarial»
ISBN: 978-84-96400-46-7

Atlas Vallard The Huntington Library, San Marino (CA) The Huntington Library, San Marino (CA)

Cota: HM 29
Data: 1547
Tamanho: 390 x 280 mm
68 páginas
Encadernado em pele vermelha estampada en ouro
Volume de estudos a cores (244 pp.) por Luís Filipe Thomaz (Instituto de Estudos Orientais da Universidade Católica Portuguesa), Dennis Reinhartz (University of Texas) e Carlos Miranda (Doutorado em História)
«Primeira edição, única e irrepetível, limitada a 987 exemplares, numerados e autenticados com um certificado notarial»
ISBN: 978-84-96400-46-7





Livro de estudo

Atlas Vallard The Huntington Library, San Marino (CA)


Contents:

Preface
Aníbal Cavaco Silva (former president of the Republic of Portugal)

From the editor to the reader

Introduction
Luís Filipe F. R. Thomaz (Director of the Institute for Oriental Studies of the Portuguese Catholic University)

The Dieppe school and its maps in their time
Dennis Reinhartz (Emeritus professor at the University of Texas in Arlington)

The Vallard Atlas and sixteenth century knowledge of Australia
Luís Filipe F. R. Thomaz

The maps of the Vallard Atlas
Luís Filipe F. R. Thomaz, Dennis Reinhartz

The mythological narrative in the margins of the Vallard Atlas
Carlos Miranda García-Tejedor (Doctor in History)

Appendix
Luís Filipe F. R. Thomaz

Notes
Bibliography

ISBN: 978-84-96400-49-8

 






Descrição

Atlas Vallard The Huntington Library, San Marino (CA)


Atlas Portulano, anónimo.
Dieppe, 1547
Atlas do mundo que contém 15 cartas náuticas, tabelas de declinações, etc.

Cartas Portulano:
1. « Terra de Java » (costa Leste da Austrália?)
2. « La Jave » (costa do Norte da Austrália?), uma parte da Ásia, Insulindia
3. « Terra Java » (costa Oeste da Austrália?)
4. Golfo Pérsico e Mar Vermelho
5. Sudeste africano e Madagáscar
6. Oceano Atlântico costas da África e do Brasil
7. Noroeste da África
8. Europa e Norte da África
9. América do Norte, costa Leste
10. América Central
11. Caribe e Brasil
12. América do Sul: Rio da Prata e estreito de Magalhães
13. Europa e Norte da África
14. Mar Adriático
15. Mar Egeu

O Atlas Vallard, realizado em 1547, mostra pela primeira vez a costa oriental da Austrália, 200 anos antes das viagens do capitão Cook, considerado erroneamente o seu descobridor, em detrimento de anónimos navegantes portugueses.

1-18 com cada bifólio reforçado com tiras de pergaminho no vinco, catalogação dos cadernos no canto inferior direito, alguma parcial ou totalmente recortada. Margens exteriores com 1 linha realçada em cor em cima e abaixo, com escalas de latitude nas margens laterais; cartas 1-5 e 11 contém margens decoradas.

Sistemas de numeração:
-Paginação em tinta com números arábicos na parte superior central de cada fólio;
-Numeração integral das cartas (1 a 15) em lápis no canto superior esquerdo dos frontispícios em branco que precedem cada carta.

Nomenclatura escrita em minúscula com tinta preta e vermelha, em dourado nas áreas geográficas; espaços de terra firme desenhados em cor com as ilhas pintadas de azul, vermelho ou dourado; numerosas rosas-dos-ventos em cada carta, com as habituais 32 linhas de orientação em preto, vermelho e verde para as principias direcções; ricamente ilustrado com diversas cenas, barcos, animais marinhos, soberanos, etc. Orientação: sul na parte superior.

Encadernado por volta de 1805, com pele de cabra vermelha ornamentada a ouro.
Provavelmente realizado em Dieppe (França), talvez por um cartógrafo português ou baseado num protótipo português, ao teor da influência portuguesa na toponímia. As cartas 14 e 15 parecem ser de outra mão, já que diferem em técnica cartográfica e estilo artístico.
No f. 1, sob uma esfera armilar encontra-se a inscrição: “Nicolas Vallard de Dieppe, 1547”.
Provavelmente Vallard não é o cartógrafo, mas sim o primeiro proprietário, cujo brasão de armas poderia ser o do centro da ilustração marginal do f. 11.

História do códice:
Charles Maurice de Talleyrand-Périgord, Príncipe de Bénévent (1754-1838).
Vendeu-o a Robert Triphook, Londres, 8 Maio 1816, n. 3464.
Vendeu-o a Henry Bohn, Evans, 29 Março 1833, n. 445.
David Steward Ker vendeu-o a Sir Thomas Phillipps, Londres, 7 Maio 1849, pt. IV, n. 791. “Phillipps MS 13199” anotado nas guardas ii e iii, e seu ‘ex libris’ na contracapa anterior junto á data “1850” e uma nota com descrição do manuscrito.
Obtido por meios particulares por Henry E. Huntington através de A. S. W. Rosenbach em 1924.



We use private and third party cookies to improve our services by analyzing your browsing habits. If you continue to browse, we consider that you accept its use. Learn more x