Apocalipse 1313

Bibliothèque nationale de France, Paris




Cota: Fr. 13096
Data: 1313
Tamanho: ± 237 x 164 mm
334 páginas, 162 miniaturas (86 em página inteira) iluminadas a ouro
Encadernado em pergaminho
Volume de estudos a cores (296 pp.) por Marie-Thérèse Gousset (Centre de Recherche sur les Manuscrits Enluminés, BnF) e Marianne Besseyre (Centre de Recherche sur les Manuscrits Enluminés, BnF)
«Primeira edição, única e irrepetível, limitada a 987 exemplares, numerados e autenticados com um certificado notarial»
ISBN: 978-84-96400-19-1


Cota: Fr. 13096
Data: 1313
Tamanho: ± 237 x 164 mm
334 páginas, 162 miniaturas (86 em página inteira) iluminadas a ouro
Encadernado em pergaminho
Volume de estudos a cores (296 pp.) por Marie-Thérèse Gousset (Centre de Recherche sur les Manuscrits Enluminés, BnF) e Marianne Besseyre (Centre de Recherche sur les Manuscrits Enluminés, BnF)
«Primeira edição, única e irrepetível, limitada a 987 exemplares, numerados e autenticados com um certificado notarial»
ISBN: 978-84-96400-19-1





Livro de estudo

Apocalipse 1313 Bibliothèque nationale de France, Paris


Formato: 210 x 300 mm
Páginas: 432
Ilustrações: 352
Língua: espanhol ou inglês-francês
ISBN: 978-84-96400-20-7

Contents:

From the editor to the reader

The Apocalypse of 1313

Presentation of the manuscript
Marie-Thérèse Gousset (Ingénieur de recherche, Centre de Recherche sur les Manuscrits Enluminés, BnF)

Colins Chadewe “ordinat” and “enluminat” the manuscript
Marie-Thérèse Gousset

An innovative series of paintings: the teaching of images combining the old and the new
Marie-Thérèse Gousset

“The Hell of Trades” in the Apocalypse of 1313
Marianne Besseyre (Conservateur, Centre de Recherche sur les Manuscrits Enluminés, BnF)

Commentaries on the paintings
Marianne Besseyre
Marie-Thérèse Gousset
 
The commentary and its author and translator
Marie-Thérèse Gousset

Conclusion
Bibliography

 






Descrição

Apocalipse 1313 Bibliothèque nationale de France, Paris


Assinado e datado em 1313 pelo seu iluminador, Colin Chadelve, este Apocalipse é uma obra única, pois parece projectado para satisfazer as exigentes petições do seu comitente. O manuscrito possui um conjunto excepcional de imagens, quer pela sua abundância, quer pela qualidade da técnica pictórica. Este códice reúne o ciclo iconográfico do livro do Apocalipse mais extenso da Idade Média.

A luminosidade do seu colorido, o efeito de contraste dos ouros e a riqueza das ilustrações do Apocalipse e do Inferno, transformam-no, também, numa jóia única. O privilegiado leitor actual pode observar os impiedosos castigos que esperam os condenados ao Inferno, já que o artista pintou com todo o requinte de detalhes as torturas mais terríficas e surpreendentes: os pecadores são esfolados, serrados pelo meio, martelados numa bigorna, introduzidos em caldeirões de água ou azeite a ferver, cegados com tenazes e cinzéis... Este manuscrito destaca-se pela insistência na representação do Inferno, os seus horrores e tormentos, num alarde de imaginação e fantasia do artista, enquanto que em outros códices é só um elemento a mais.

As miniaturas, de estilo homogéneo ao longo de todo o manuscrito, estão animadas por uma extraordinária força dramática, alcançada pelos gestos das personagens e pelo dinamismo das cenas, bem como pela variedade de cores e pela abundante utilização do ouro.

A excepcionalidade deste Apocalipse reside também no facto de ser uma peça rara entre os manuscritos franceses dos inícios do século XIV, visto que podem ser encontrados pouquíssimos vestígios do estilo parisiense. Realmente, este Apocalipse parece ser uma singular adaptação de um tipo de livro gótico inglês muito popular e destaca-se como uma produção textual e iconograficamente isolada, única e extraordinária.

O artista deste manuscrito consegue orquestrar quatro níveis de leitura de forma coerente e sem precedentes; combina o texto apocalíptico, os modelos iconográficos tradicionais, os comentários e a sua própria percepção destes textos, fazendo emergir, desta forma, novos significados.

O Apocalipse de 1313 constitui, segundo os especialistas, uma importante mudança na concepção gótica do Apocalipse ilustrado perante um livro de devoção mais pessoal e privado, utilizado para o recolhimento e a meditação na intimidade.



Avaliações de clientes
Apocalipse 1313
Bibliothèque nationale de France, Paris





“They are wonderful! Thank you very much.»

Aaron S. – University of C.



“Je vous adresse tous mes voeux à l’occasion de cette nouvelle année ! Une année pleine de beaux ouvrages et de manuscrits anciens. Je viens de recevoir à l’instant l’Apocalypse : c’est tout simplement superbe ! Je vous félicite pour la qualité de l’ouvrage et bravo pour le livre d’explications : il est remarquable...”

Eric T. – France




We use private and third party cookies to improve our services by analyzing your browsing habits. If you continue to browse, we consider that you accept its use. Learn more x