Cantigas de Amigo

Imprescindível para entender a lírica medieval galaico-portuguesa.

Com as suas ilustrações, Antonio García Patiño recreia os versos de Martin Codax, Johan Zorro, Pai Soarez de Taveiros, Pero Meogo e outros trovadores e jograis. Com uma poesia atrevida e sincera, todos eles reflectem a nostalgia da mulher perante a ausência do ser amado.
Também não faltam os elementos clássicos do género, como a tristeza pelo abandono, as imagens bucólicas ou a presença da mãe vigilante.
Cantigas de Amigo reúne dezanove cantigas da lírica medieval galaico-portuguesa, ilustradas com pinturas originais de Antonio García Patiño. Do trabalho de Patiño, Francisco Rico destaca no prólogo da obra, a sua capacidade para reflectir com intuição e talento o acorde global desse universo: O canto coral atrai-o tanto ou mais que as notas individuais. Menos que calcar os detalhes pitorescos ou novelescos deste ou daquele texto, o olhar do artista, apesar de não os desdenhar, dirige-se à atmosfera que a totalidade sugere.

Cantigas de Amigo



Imprescindível para entender a lírica medieval galaico-portuguesa.

Com as suas ilustrações, Antonio García Patiño recreia os versos de Martin Codax, Johan Zorro, Pai Soarez de Taveiros, Pero Meogo e outros trovadores e jograis. Com uma poesia atrevida e sincera, todos eles reflectem a nostalgia da mulher perante a ausência do ser amado.
Também não faltam os elementos clássicos do género, como a tristeza pelo abandono, as imagens bucólicas ou a presença da mãe vigilante.
Cantigas de Amigo reúne dezanove cantigas da lírica medieval galaico-portuguesa, ilustradas com pinturas originais de Antonio García Patiño. Do trabalho de Patiño, Francisco Rico destaca no prólogo da obra, a sua capacidade para reflectir com intuição e talento o acorde global desse universo: O canto coral atrai-o tanto ou mais que as notas individuais. Menos que calcar os detalhes pitorescos ou novelescos deste ou daquele texto, o olhar do artista, apesar de não os desdenhar, dirige-se à atmosfera que a totalidade sugere.


Compartir

Cantigas de Amigo


Esgotado.

Avaliações

Ainda não há classificação
mostrar/ocultar

Ver mais comentários ()

Mais informação

mostrar/ocultar

Imprescindível para entender a lírica medieval galaico-portuguesa.

Com as suas ilustrações, Antonio García Patiño recreia os versos de Martin Codax, Johan Zorro, Pai Soarez de Taveiros, Pero Meogo e outros trovadores e jograis. Com uma poesia atrevida e sincera, todos eles reflectem a nostalgia da mulher perante a ausência do ser amado.
Também não faltam os elementos clássicos do género, como a tristeza pelo abandono, as imagens bucólicas ou a presença da mãe vigilante.
Cantigas de Amigo reúne dezanove cantigas da lírica medieval galaico-portuguesa, ilustradas com pinturas originais de Antonio García Patiño. Do trabalho de Patiño, Francisco Rico destaca no prólogo da obra, a sua capacidade para reflectir com intuição e talento o acorde global desse universo: O canto coral atrai-o tanto ou mais que as notas individuais. Menos que calcar os detalhes pitorescos ou novelescos deste ou daquele texto, o olhar do artista, apesar de não os desdenhar, dirige-se à atmosfera que a totalidade sugere.

Características

mostrar/ocultar

Formato: 320 x 250 mm
Páginas: 176
Ilustrações: 20 originais do pintor galego Antonio García Patiño
ISBN: 978-84-88526-46-5
Idioma: Tradução dos textos originais de galego para espanhol e anotações Gema Vallín.

Preferências de cookies

Utilizamos os nossos próprios cookies e de terceiros para melhorar os nossos serviços, analisando os seus hábitos de navegação. Para mais informações, pode ler nossa política de cookies. Pode aceitar todos os cookies clicando no botão Aceitar ou configurar ou rejeitar a sua utilização, clicando AQUI.