Lazzat al-nisâ (O prazer das mulheres)

Lazzat al-nisâ (O prazer das mulheres) f. 1v

Voltar

f. 1v

Que o Senhor faça esta obra chegar a bom termo.
Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.
 
Louvado seja o Senhor dos Dois Mundos e seja próspero o fim dos Crentes; orações e bênçãos sobre o seu mensageiro Muhammad e a sua família e todos os seus seguidores.
 
Sabei que isto foi escrito para o rei conhecido em todo o mundo pelo seu bom nome, pelo seu valor, pela sua generosidade e pela sua grandeza; em generosidade era como Hatim at-Tai e, em governo e benevolência, era como Key Josró e Josró Anusiraván. O seu nome era Rajá Nabutaj. Possuía mil e setecentas mulheres no seu harém. Todas elas eram filhas de reis, enviadas de todas as latitudes em reconhecimento da sua fama. Dia e noite o rei se fechava com elas. Apenas as mulheres podiam aceder à sua intimidade. Tinha quatrocentos prudentes vizires, todos sagazes, competentes e entendidos como Bozorgmehr; nas suas mãos estava a administração do país. Havia um vizir que se destacava dos demais; a filosofia mantinha-o sempre ocupado e era extraordinária a sua capacidade para amealhar riquezas. O rei tinha-lhe oferecido cinquenta milhões de rúpias e enviou-o ao rei de Sarandib-e Surt. O nome deste vizir era Koka Pandit.
 

Tradução do texto do Lazzat al-nisâ realizada por:
Willem Floor (Investigador independente)
Hasan Javadi (Universidade da Califórnia, Berkeley)
Hormoz Ebrahimnejad (Universidade de Southampton)

We use private and third party cookies to improve our services by analyzing your browsing habits. If you continue to browse, we consider that you accept its use. Learn more x