Apocalipse de Val-Dieu

The British Library, Londres




Cota: Add. Ms. 17333
Data: c. 1320-1330
Lugar de origem: Noroeste de França (Normandia)
Idioma: Latim e francês
Tamanho: ± 325 x 225 mm
108 páginas, 83 miniaturas enriquecidas com ouro
Encadernação em pele verde. Contracapa em pele vermelha com motivos dourados
Volume de estudos a cores, a cargo de especialistas de reconhecido prestígio internacional
Primeira edição, única e irrepetível, limitada a 987 exemplares, numerados e autenticados com um certificado notarial

Cota: Add. Ms. 17333
Data: c. 1320-1330
Lugar de origem: Noroeste de França (Normandia)
Idioma: Latim e francês
Tamanho: ± 325 x 225 mm
108 páginas, 83 miniaturas enriquecidas com ouro
Encadernação em pele verde. Contracapa em pele vermelha com motivos dourados
Volume de estudos a cores, a cargo de especialistas de reconhecido prestígio internacional
Primeira edição, única e irrepetível, limitada a 987 exemplares, numerados e autenticados com um certificado notarial



Descrição

Apocalipse de Val-Dieu The British Library, Londres


Este Apocalipse ilustrado surpreende, em primeira instância, pelo seu excelente estado de conservação e pela qualidade das tonalidades pictóricas das suas miniaturas. A nível cromático, as miniaturas destacam-se por serem extremadamente sofisticadas e ricas em matizes.

O manuscrito, realizado por volta de 1320-1330, com toda a probabilidade na Normandia, inclui o texto do Apocalipse, tanto em latim como em francês, sob amplas e refinadas miniaturas que ocupam meia página.

Historicamente, o códice pertence a um pequeno grupo de quatro Apocalipses, de extraordinária qualidade, que foram produzidos durante o primeiro quartel do séc. XIV no noroeste de França e cujo programa iconográfico segue o de um Apocalipse inglês do séc. XIII que foi destruído no bombardeamento de Metz, em 1944. Este pequeno grupo diferencia-se do seu referente inglês por apresentar uma conceção das figuras e das cenas completamente própria: o realismo e a corporeidade das suas figuras consegue atribuir uma enorme concreção às cenas fantásticas do Apocalipse. Por outro lado, este Apocalipse distingue-se dos demais devido à sua cuidadosíssima execução artística e por um realismo particularmente elegante no retrato dos protagonistas. Ambas as qualidades estão reforçadas pelo uso de tonalidades cromáticas surpreendentes e delicadas, que se combinam entre elas com grande sentido estético.

O códice fez parte da biblioteca da Cartuja de Val-Dieu (diocese de Séez) no séc. XVII; o fólio 1 tem a inscrição Ex Libris Cartusiae Vallis Dei. Foi comprado pelo British Museum em 6 de maio de 1848 a Thomas Rodd, livreiro, antiquário e hispanista inglês.


We use private and third party cookies to improve our services by analyzing your browsing habits. If you continue to browse, we consider that you accept its use. Learn more x