Livro de Horas de Henrique IV de França

Livro de Horas de Henrique IV de França Santa Verónica, f. 70v

Voltar

Santa Verónica, f. 70v

Diante de um bosque bem arborizado, Santa Verónica, velada e nimbada, estende um pano onde se encontra impresso o rosto, sangrante e perfeitamente simétrico, de Cristo. O seu aspeto deriva da iconografia do filósofo ou do pedagogo grego e da descrição de Jesus que havia sido enviada através de uma epístola ao senado romano por Públio Lêntulo, o predecessor de Pôncio Pilatos, onde se descrevia os cabelos, sombrios e cor de vinho, repartidos por uma risca no meio e a cair pelos ombros, a barba abundante, da mesma cor que o cabelo, e repartida.
   No Ocidente, a veneração à Santa Face baseava-se especialmente no sudarium sagrado de Verónica (Volto santo), relíquia que, pelo menos desde o século XII, era conservada em São Pedro de Roma e que despareceu em 1527 durante a pilhagem de Roma. A figura lendária de Santa Verónica foi apresentada como portadora da relíquia, o que deixava contemplar o objeto santo e a lenda numa só imagem, permitindo estabelecer a prova da origem e da idade da relíquia. O próprio gesto da Santa, que apresentava o lenço com as suas mãos estendidas como faziam os prelados de Roma, incitava à veneração. Esta variante, da imagem dentro da imagem, era comparável a um relicário, distinguindo o objeto de culto da sua apresentação ou do seu suporte.

We use private and third party cookies to improve our services by analyzing your browsing habits. If you continue to browse, we consider that you accept its use. Learn more x