Dioscórides de Cibo e Mattioli

Pé-de-leão (Alchemilla vulgaris), f. 122r


Voltar

O pé-de-leão, que alguns chamam de alquemila e outros de estelar, é uma planta que cresce principalmente nos prados dos montes. As suas folhas são muito semelhantes às da malva, só que mais duras, mais estriadas e mais ásperas; os ângulos, que geralmente são oito, embora às vezes possam ser menos, são muito mais vistosos e irregulares, de tal modo que, quando as folhas estão bem abertas, se assemelham a uma estrela. O talo cresce até a altura de um palmo e muitas vezes até mais; deste partem numerosos ramos, em cuja extremidade se abrem algumas flores em forma de estrela, com uma cor verde tendendo a amarela e muito pequenas. A raiz tem a espessura de um dedo e pode atingir um comprimento superior a um palmo e meio. Nasce em maio e floresce em junho. É extremamente útil para cicatrizar feridas internas e externas, de tal forma que os cirurgiões alemães costumam utilizá-la na preparação de beberagens para feridas mortais e para os intestinos, como também para fístulas. O pó da planta seca, se bebido com água destilada da planta fresca ou com a água que resulta do cozimento da planta seca, cura as hérnias intestinais das crianças. Uma colher desse mesmo pó, diluída em vinho ou caldo e administrada durante quinze ou vinte dias, pode ser administrado com grande proveito a mulheres estéreis quando a lubricidade dos humores impede o sêmen de se aderir ao útero. A água do seu destilado, primeiro ingerida e depois aplicada nas partes íntimas, interrompe a leucorreia; consumida seguidamente, estreita a vagina de tal maneira que faz com que pareçam virgens as mulheres que já não o são, especialmente se tomarem banhos de assento com a água do seu cozimento durante vários dias. Os trapos embebidos na água e aplicados nos peitos fazem-nos encolher, para que fiquem redondos e túrgidos (f. 121v).

Dioscórides de Cibo e Mattioli Pé-de-leão (Alchemilla vulgaris), f. 122r

Voltar

Pé-de-leão (Alchemilla vulgaris), f. 122r

O pé-de-leão, que alguns chamam de alquemila e outros de estelar, é uma planta que cresce principalmente nos prados dos montes. As suas folhas são muito semelhantes às da malva, só que mais duras, mais estriadas e mais ásperas; os ângulos, que geralmente são oito, embora às vezes possam ser menos, são muito mais vistosos e irregulares, de tal modo que, quando as folhas estão bem abertas, se assemelham a uma estrela. O talo cresce até a altura de um palmo e muitas vezes até mais; deste partem numerosos ramos, em cuja extremidade se abrem algumas flores em forma de estrela, com uma cor verde tendendo a amarela e muito pequenas. A raiz tem a espessura de um dedo e pode atingir um comprimento superior a um palmo e meio. Nasce em maio e floresce em junho. É extremamente útil para cicatrizar feridas internas e externas, de tal forma que os cirurgiões alemães costumam utilizá-la na preparação de beberagens para feridas mortais e para os intestinos, como também para fístulas. O pó da planta seca, se bebido com água destilada da planta fresca ou com a água que resulta do cozimento da planta seca, cura as hérnias intestinais das crianças. Uma colher desse mesmo pó, diluída em vinho ou caldo e administrada durante quinze ou vinte dias, pode ser administrado com grande proveito a mulheres estéreis quando a lubricidade dos humores impede o sêmen de se aderir ao útero. A água do seu destilado, primeiro ingerida e depois aplicada nas partes íntimas, interrompe a leucorreia; consumida seguidamente, estreita a vagina de tal maneira que faz com que pareçam virgens as mulheres que já não o são, especialmente se tomarem banhos de assento com a água do seu cozimento durante vários dias. Os trapos embebidos na água e aplicados nos peitos fazem-nos encolher, para que fiquem redondos e túrgidos (f. 121v).

Preferências de cookies

Utilizamos os nossos próprios cookies e de terceiros para melhorar os nossos serviços, analisando os seus hábitos de navegação. Para mais informações, pode ler nossa política de cookies. Pode aceitar todos os cookies clicando no botão Aceitar ou configurar ou rejeitar a sua utilização, clicando AQUI.