Tratado de Albumasar

British Library, Londres




O Tratado de Albumasar (Liber Astrologiae) é um dos livros de imagens mais fascinantes da Idade Média. As suas páginas suscitam uma viagem intelectual que evoca a migração das mitologias da Antiguidade, através da civilização árabe, para a sua iluminação no Ocidente medieval. O texto é formado por fragmentos da obra do maior astrólogo árabe da história, Albumasar, tomados de uma tradução realizada na mítica escola de tradutores de Toledo.
 
A importância do Tratado de Albumasar radica no facto de que, pela primeira vez, é feito o compêndio da mitologia astral das grandes civilizações – a egípcia, a grega, a persa e a hindu – num só livro ricamente ilustrado. O seu belíssimo ciclo iconográfico inclui não apenas singulares formas dos planetas e os signos do zodíaco de origem grega, mas também uma série de desconcertantes imagens de constelações criadas pelas diferentes culturas orientais para fixar a posição das estrelas no firmamento.
 
A astrologia deixou a sua marca em quase todos os ramos do conhecimento medieval. No século XIII, foi a ponta de lança da reintrodução da filosofia natural aristotélica no Ocidente, em vigor até Newton. No final da Idade Média, a astrologia era ensinada nas grandes Faculdades de Medicina: em Pádua, Paris, Montpellier ou Salamanca, e os médicos ocupavam com tanto orgulho a cadeira de Astrologia como, por exemplo, a de Anatomia, já que o conhecimento da posição dos céus era considerada essencial para os diagnósticos médicos e, portanto, uma parte indispensável da formação dos galenos.

Primeira edição, única e irrepetível, limitada a 987 exemplares, numerados e autenticados com um certificado notarial.
Tratado de Albumasar (Liber Astrologiae), Ms. Sloane 3983, The British Library, finais do séc. XIV.

O Tratado de Albumasar (Liber Astrologiae) é um dos livros de imagens mais fascinantes da Idade Média. As suas páginas suscitam uma viagem intelectual que evoca a migração das mitologias da Antiguidade, através da civilização árabe, para a sua iluminação no Ocidente medieval. O texto é formado por fragmentos da obra do maior astrólogo árabe da história, Albumasar, tomados de uma tradução realizada na mítica escola de tradutores de Toledo.
 
A importância do Tratado de Albumasar radica no facto de que, pela primeira vez, é feito o compêndio da mitologia astral das grandes civilizações – a egípcia, a grega, a persa e a hindu – num só livro ricamente ilustrado. O seu belíssimo ciclo iconográfico inclui não apenas singulares formas dos planetas e os signos do zodíaco de origem grega, mas também uma série de desconcertantes imagens de constelações criadas pelas diferentes culturas orientais para fixar a posição das estrelas no firmamento.
 
A astrologia deixou a sua marca em quase todos os ramos do conhecimento medieval. No século XIII, foi a ponta de lança da reintrodução da filosofia natural aristotélica no Ocidente, em vigor até Newton. No final da Idade Média, a astrologia era ensinada nas grandes Faculdades de Medicina: em Pádua, Paris, Montpellier ou Salamanca, e os médicos ocupavam com tanto orgulho a cadeira de Astrologia como, por exemplo, a de Anatomia, já que o conhecimento da posição dos céus era considerada essencial para os diagnósticos médicos e, portanto, uma parte indispensável da formação dos galenos.

Primeira edição, única e irrepetível, limitada a 987 exemplares, numerados e autenticados com um certificado notarial.

Iluminuras
Tratado de Albumasar
British Library, Londres



Descrição

Tratado de Albumasar British Library, Londres


Assinatura: Ms. Sloane 3983
Data: finais do séc. XIV
Tamanho: ± 270 x 186 mm
102 páginas, 72 miniaturas de página inteira.
Encadernação em marroquim vermelho estampado em ouro
Volume de estudos a cores, a cargo de especialistas com reconhecido prestígio internacional

Primeira edição, única e irrepetível, numerada e limitada a 987 exemplares certificados e autentificados notarialmente


We use private and third party cookies to improve our services by analyzing your browsing habits. If you continue to browse, we consider that you accept its use. Learn more x